SintPel

Campanha Salarial 2015

 

------------------------------------------------------------06/06/2016--------------------------------------------------------------  

Veja o PDF AQUI

 

------------------------------------------------------------15/12/2015--------------------------------------------------------------  

 Veja o PDF AQUI

 Veja completo AQUI

------------------------------------------------------------06/11/2015--------------------------------------------------------------  

Veja o PDF AQUI

------------------------------------------------------------04/11/2015--------------------------------------------------------------  

Veja o PDF AQUI

------------------------------------------------------------30/10/2015--------------------------------------------------------------  

Veja o PDF AQUI

------------------------------------------------------------23/10/2015--------------------------------------------------------------  

Veja o PDF AQUI

------------------------------------------------------------16/10/2015-------------------------------------------------------------- 

Veja o PDF AQUI

------------------------------------------------------------28/09/2015-------------------------------------------------------------- 

Veja o PDF AQUI

------------------------------------------------------------02/09/2015--------------------------------------------------------------

Papeleiros entregam pauta reivindicando aumento real, redução da jornada e garantia de emprego
 
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Papel, Papelão e Cortiça de Piracicaba (Sintipel), Francisco Pinto Filho, o Chico, participou nesta manhã de segunda-feira, 31 de agosto, em São Paulo, da entrega da pauta de reivindicações da campanha salarial da categoria ao setor patronal, que aconteceu na sede do Sindicato patronal do Papel e Celulose. Na pauta está sendo reivindicada a reposição da inflação dos 12 meses anteriores à data-base da categoria, com aumento real de 5%, melhoria no piso salarial, redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais nos setores de artefatos e papelão, e garantia do nível de emprego nos setores. 
Os trabalhadores das indústrias do papel têm data-base em outubro e soma cerca de 1500 em Piracicaba e aproximadamente 70 mil no Estado. Com a entrega da pauta aos setores do papel, papelão e artefatos de papel, o presidente do Sintipel diz que a expectativa é de que seja estabelecido um cronograma de negociação, para que se dê início ao processo negocial. 
A pauta entregue ao setor patronal foi tirada pela categoria em encontro estadual que aconteceu nos dias 1 e 2 de julho, na cidade de Praia Grande, que reuniu papeleiros de todo Estado de São Paulo, quando foi discutida a atual conjuntura econômica e decidido pela realização da campanha salarial unificada, envolvendo os setores do papel e celulose, papelão e artefatos de papel. Esta posição foi ratificada pelos trabalhadores da base do sindicato de Piracicaba, em assembleia realizada no dia 7 de agosto último. 
De acordo com Chico, o pedido de redução da jornada para 40 horas semanais visa equiparar os setores de artefatos de papel e papelão como o de papel que já tem esta conquista. A categoria também reivindica melhorias nas demais cláusulas sociais, como adicional noturno, cesta de alimentos e o pagamento do 14º salário, além da manutenção do nível de emprego no setor. “A campanha acontece dentro de um cenário difícil,  mas o fato de realizarmos uma campanha salarial unificada, envolvendo os trabalhadores de todos os setores das indústrias do papel e celulose, papelão e cortiça, com certeza, vai contribuir para que tenhamos mais força na mesa de negociação com o empresariado”, completa o presidente do Sintipel.
 
Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124

 

------------------------------------------------------------17/08/2015--------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------06/07/2015--------------------------------------------------------------

Papeleiros decidem fazer campanha unificada, e tiram bandeiras de lutas, como garantia de emprego

Veja fotos AQUI

Em Encontro Estadual, realizado nesta semana, nos dias 1 e 2 de julho, na cidade de Praia Grande, papeleiros de todo Estado de São Paulo, discutiram a atual conjuntura econômica e decidiram realizar a campanha salarial unificada, envolvendo os setores do papel e celulose, papelão e artefatos de papel, e tiraram as principais bandeiras de lutas, como a melhoria nos salários e a garantia da manutenção do nível de emprego. No Encontro, organizado pela Federação Estadual da categoria, que reuniu mais de 200 dirigentes sindicais de todo Estado e também  de Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, Piracicaba foi representada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Papel, Papelão e Cortiça de Piracicaba (Sintipel), Francisco Pinto Filho, o Chico, e pelos diretores Emerson Cavalheiro, Agnaldo da Silva Pereira, José Maria Rodrigues da Silva, Odair de Almeida Barros e Sérgio Gonçalves.

No evento, realizado nas Colônias de Férias dos Papeleiros e dos Borracheiros, os dirigentes sindicais participaram de palestra sobre conjuntura econômica, ministrada pelo técnico do Dieese, Ilmar Ferreira da Silva, que também apresentou dados sobre as indústrias do setor papeleiro no País, mostrando que continuam em expansão, principalmente o do papel e da celulose, inclusive com grandes perspectivas de crescimento para exportação, dando o norte para as deliberações para o Encontro. “É diante deste cenário que tiramos as nossas bandeiras de lutas, que  irão nortear a elaboração da nossa pauta de reivindicações para a campanha salarial deste ano, em novo encontro que acontecerá nos próximos dias, na nossa Federação”, destaca o presidente do Sintipel. 

Os trabalhadores das indústrias do papel têm data-base em outubro e soma cerca de 1500  em Piracicaba e aproximadamente 70 mil no Estado. Na campanha salarial, a categoria deverá reivindicar a reposição da inflação dos 12 meses anteriores à data-base da categoria, com aumento real de 5%, melhoria no piso salarial, redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais nos setores de artefatos e papelão, equiparando assim ao setor do papel que já tem esta conquista. A categoria também vai reivindicar melhorias nas demais cláusulas sociais, como adicional noturno, cesta de alimentos e o pagamento do 14º salário. 

A pauta de reivindicações para a campanha salarial deverá ser entregue aos empresários, provavelmente, em agosto. “Sabemos que esta campanha acontecerá dentro de um cenário difícil, mas a decisão tomada neste Encontro, de realizarmos uma campanha salarial unificada, envolvendo todos os trabalhadores de todos os setores das indústrias do papel e celulose, papelão e cortiça, com certeza, vai contribuir para que tenhamos mais força na mesa de negociação com o empresariado”, diz Chico.

 

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124

 

------------------------------------------------------------24/10/2014--------------------------------------------------------------

Setor de papel utiliza 5 rodadas para propor só a inflação e migalhas

 

É  isso mesmo! O empresariado do setor de papel, em cinco rodadas de negociações, só nos propôs repor a inflação dos últimos 12 meses, que é de 6,59% e mais outras migalhas.

Na última rodada, neste último dia 23 (quinta-feira), encerraram as conversas propondo:

- Reajuste – 6,59% para quem ganha até R$ 5.500,00

- Abono – R$ 1.500,00

- Cesta – R$185,00

- Piso salarial – R$ 1.357,40

- Auxílio creche – R$ 440,00

- Auxílio para filho excepcional – R$ 1.150,00

- Auxílio funeral – R$ 2.700,00

Como podemos ver, o empresariado apenas propõe corrigir os valores do ano passado com a inflação fazendo alguns arredondamento para cima. Encerraram a reunião dizendo que iriam voltar para a assembleia das empresas e levar novamente a posição dos sindicatos dos trabalhadores, que reforçaram a necessidade de que seja concedido aumento real, e que na segunda-feira, dia 27, vão ligar para a presidência da Federação e dizer se irão marcar nova rodada de negociação ou se a proposta será mantida. Uma verdadeira falta de consideração conosco, que produzimos os seus lucros.

ACORDO PARA TODOS – o presidente do nosso sindicato, Francisco Pinto Filho, o Chico, tem insistido junto ao COMANDO DE NEGOCIAÇÃO DA CAMPANHA para que não seja aceito este corte no limite de salário e também a cláusula de aplicabilidade “dá a liberdade à empresa de não aplicar a convenção para gerentes e gestores”. Não aceitamos porque estamos negociando para todos. Portanto, precisamos da união e participação de todos para um bom acordo.

PAPELÃO – O empresariado do setor está fazendo jus ao nome do setor, um verdadeiro “papelão. Marcam uma reunião a cada 15 dias, esperando que os outros setores decidam para depois eles decidirem o que fazer. Uma vergonha...marcou mais uma reunião para dia 30 de outubro, na sede da ABPO, em São Paulo, às 15 horas.

ARTEFATOS – esse setor, então, deu um passa moleque em todos. Nos começou dizendo que queria resolver logo, inclusive realizando duas rodadas, mas sem maiores explicações, parou tudo. Por sua vez, o SIAPAPECO (Sindicato Patronal) decidiu encerrar as negociações e entrou com dissídio coletivo no Tribunal e foi marcada a primeira audiência de conciliação no TRT2ª Região para o dia 4 de novembro.

A DIRETORIA

 

------------------------------------------------------------17/10/2014--------------------------------------------------------------

Veja o pdf AQUI

Empresários do papel mantêm só 6,59% de reajuste e apresentam proposta de abono

Na 4ª rodada de negociação do setor de papel, que aconteceu na manhã desta última quinta-feira, 9 de outubro, os empresários do setor de papel e celulose voltaram a apresentar a mesma proposta de reajuste salarial de 6,59%, mas somente para quem ganha até R$ 5.500,00. O único avanço foi a proposta de abono de R$ 1.400,00, e a elevação do tíquete alimentação para R$ 180,00. Como se vê, pouco mudou e uma nova rodada de negociação foi agendada para a próxima quinta-feira, dia 23 de outubro. Diretores do nosso sindicato estiveram na porta da Oji Papéis conversando com os companheiros trabalhadores e expondo esta contraproposta, que foi rejeitada na própria mesa de negociação.

Contraproposta Patronal rejeitada:

- Reajuste 6,59% para quem ganha até R$ 5.500,00.

- Piso da categoria R$ 1.357,40.

- Abono Salarial R$ 1.400,00.

- Tíquete-alimentação de R$ 180,00.

- Auxílio creche de r$ 437,00

- Auxílio filho excepcional R$ 1.110,00.

- Auxílio funeral de R$ 2.700,00.

Ficou agendada mais uma rodada para dia 23/10/14, m São Paulo.

- PAPELÃO ONDULADO - na rodada que acontece no dia 15 (quarta-feira), o empresariado só propôs reajuste salarial de 6,59%. Esperamos que o empresariado reveja esta proposta, uma vez que ainda não foi agendada nova rodada.

-ARTEFATOS DE PAPEL -- O Sindicato Patronal, infelizmente, ajuizou o dissídio coletivo na Justiça do Trabalho, demonstrando total pouco caso com os companheiros trabalhadores.

Companheiros, a ordem é mantermos a mobilização. Somente unidos poderemos avançar. Qualquer novidade, o sindicato estará informando.

 

A DIRETORIA

 

------------------------------------------------------------01/10/2014--------------------------------------------------------------

INFORMAÇÕES Campanha Salarial 2014.

Veja o PDF AQUI

------------------------------------------------------------25/08/2014--------------------------------------------------------------

Nossa pauta de reivindicações já está com os patrões

A nossa pauta de reivindicações para a campanha salarial deste ano já foi entregue aos patrões. A entrega aconteceu neste último dia 19 de agosto (terça-feira), e foi feita ao empresariado dos setores do Papel e Celulose, Papelão e Artefatos, durante encontro que aconteceu no período da manhã, no SIP (Sindicato da Indústria do Papel), onde o nosso sindicato foi representado pelo presidente Francisco Pinto Filho, o Chico, e pelo diretor Agnaldo Pereira da Silva.

O setor de Papel e do Papelão já garantiu a data-base, enquanto que o do Papel vai fazer assembleia com as empresas e, posteriormente, marcará reunião com a Federação  e  os  Sindicatos  para  negociar.  O  papelão  também.

No período da tarde, foi feita a entrega ao setor de Artefatos, que surpreendeu a todos, uma vez que, de imediato, garantiu a data-base e já marcou 4 reuniões: dias 25 e 27 de agosto, às 11 horas; e 08 e 12 de setembro, também às 11 horas.

Nossas principais reivindicações:

- reposição da inflação;

- aumento real de 5%;

- redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais;

- piso salarial de R$ 1.600,00;

- horas extras de 100%;

- adicional noturno de 60%;

- cesta básica de alimentos de R$ 325,00;

- 14º salário para todos os papeleiros;

- manutenção do nível de emprego no setor;

- melhoria na qualidade de atendimento no Sepaco (Hospital dos

papeleiros);

- programas de qualificação profissional na cadeira produtiva do papel;

- redução da jornada para todos os papeleiros.

 

Trabalhador, fique atento aos chamados do nosso Sindicato!

 

 

A DIRETORIA

------------------------------------------------------------11/07/2014--------------------------------------------------------------

Assembleia vai discutir e

aprovar pauta de reivindicações

 

Estamos convocando todos os companheiros (as) para uma grande assembleia que irá discutir as nossas principais reivindicações para a Campanha Salarial 2014 e aprovar a pauta a ser entregue ao setor empresarial. Sua participação é fundamental.

 

Data: 25/07/2014

Local: Sede Centro do Sintipel – Rua Santo Antonio, 480

Horário: 17 horas

 

Nossas principais reivindicações:

- reposição da inflação;

- aumento real de 5%;

- redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais;

- piso salarial de R$ 1.600,00;

- horas extras de 100%;

- adicional noturno de 60%;

- cesta básica de alimentos de R$ 325,00;

- 14º salário para todos os papeleiros;

- manutenção do nível de emprego no setor;

- melhoria na qualidade de atendimento no Sepaco (Hospital dos papeleiros);

- programas de qualificação profissional na cadeira produtiva do papel;

- redução da jornada para todos os papeleiros.

 

Contamos com a sua participação! Juntos, vamos definir os rumos desta campanha.

 

 

DIRETORIA

------------------------------------------------------------10/06/2014--------------------------------------------------------------

Papeleiros querem reposição da inflação, aumento real e redução da jornada de trabalho

 

Em Encontro Estadual, que aconteceu nos últimos dias 5 e 6 (quinta e sexta-feira), papeleiros de todo Estado de São Paulo definiram as principais reivindicações da categoria para a campanha salarial deste ano. A categoria quer a reposição da inflação, mais aumento real de 5% e redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução salarial para todo setor. “Atualmente, somente o setor de papel tem jornada de 40 horas semanais e queremos estender este benefício também aos setores do papelão e artefatos, como forma de garantir mais qualidade de vida aos trabalhadores e, consequentemente, gerar mais empregos”, destaca o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Papel, Papelão e Cortiça de Piracicaba (Sintipel), Francisco Pinto Filho, o Chico, que participou do encontro, realizado na Colônia de Férias dos Comerciários, na cidade de Praia Grande. 

Os papeleiros têm data-base em outubro e soma cerca de 1500 trabalhadores em Piracicaba e aproximadamente 70 mil no Estado. A categoria também pretende reivindicar piso salarial de R$ 1.600,00; horas extras de 100%; adicional noturno de 60%; cesta básica de alimentos de R$ 325,00; 14º salário para todos os papeleiros; manutenção do nível de emprego no setor, além de melhoria na qualidade de atendimento no Sepaco (Hospital dos papeleiros), além de programas de qualificação profissional na cadeira produtiva do papel. 

O Entro Estadual, que inclusive contou com a participação de dirigentes sindicais da Argentina, foi organizado pela Federação dos Papeleiros e também marcada pela participação de técnicos do Dieese e do analista econômico e ex-presidente do Ipea, Márcio Pochmann, que fez uma exposição sobre a atual conjuntura econômica, contribuiu para subsidiar as discussões dos papeleiros. De acordo com o presidente do Sintipel, agora, o próximo passo é a realização de encontro da diretoria da Federação, quando será fechada a pauta propriamente a ser encaminhada ao setor papeleiro. De Piracicaba também participam do encontro estadual os diretores do sindicato Sérgio Gonçalves, Edson Albuquerque da Silva e Agnaldo da Silva Pereira. 

 

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124

10/06/2014
Facebook Twitter

Jornal do Papeleiro

Manual de segurança e saúde

Diretores do Sintipel participam de audiência sobre a o

Diretores do Sintipel participam de audiência sobre a o

...

06/03/202006/03/2020
Coronavírus: Com prudência, nossos trabalhadores tem feito a

Coronavírus: Com prudência, nossos trabalhadores tem feito a

...

13/04/202013/04/2020
Diretoria do Sintipel se reúne com representantes das equipes do

Diretoria do Sintipel se reúne com representantes das equipes do

A diretoria do Sintipel se reuniu na noite desta quarta-feira, 01 de fevereiro,...

01/02/201801/02/2018